ELA

(por Wanderley Luis)
(Foto: Fefah Costa)




Ela sempre está presente.
Mas só nas noites consigo vê-la 
Só nas noites posso senti-la 
Só nas noites lhe faço companhia 

Ela sempre está presente
Na rotina, na loucura.
Nas ruas obscuras.
Na vida quase nunca
Pura

Nos becos
Nos seios
Na luta!

Na minha insana postura
Na minha armadilha noturna
Na minha própria procura.

Presa entre o universo e a gente
Escondida no cimento atraente
Não posso me esquecer:
Ela sempre está presente.

Me vigia?
Me guia?
Ou apenas me encanta
Como armadilha?

Correr não posso
Sumir tampouco
Ainda que seja um mistério
E mesmo que eu esteja imerso
Sempre que ela me salta aos olhos
Sinto que é por ela
Que choro.

La Vie






A vida é uma merda!

Mas a gente tenta se conformar...

Estamos cegos para o óbvio.

Vendemos facilmente nossos valores, se desvalorizaram.

Ou será que somos nós?



A vida é uma droga!

Nos matamos tentando viver.

Crescemos para desaprender.

A cura de todos os dias, 

Nos adoece ainda mais... 



A vida é um caos constante!

Buscamos equilíbrio atrás de máscaras,

Que ferem somente a nós...

Ninguém precisa saber, 

Mas esquecemos quem somos.

Nos perdemos.



A vida perdeu o juízo.

Nosso pesadelo vira realidade.

O sangue nas ruas, resultado de total brutalidade,

É visto como entretenimento, 

Aos olhos de quem pouco se importa com os rumos da sociedade.

Sobreviver é um ato de bravura, um ato de coragem.

Porque não dizer, um ato de loucura...



A vida, sei lá o que é a vida.




By Wanderley Luis e Kellen Passos

A GENTE




Tem gente que vale o mundo! Tem gente que nada vale.
Que tipo de gente a gente é?
Que tipo de gente quer estar com a gente?
Em quem confiar? Quem evitar?
A gente não sabe cuidar da gente,
Nem por isso, se deixe pra outro cuidar.
Quem sabe da gente, é a gente.
O que escolher viver, o que escolher apagar.
E no meio de tanta gente, pra onde vai aquela gente?
Que estava ao seu lado, dizendo que ia te ajudar?
E no meio de tanta gente, surpresa!
Apareceu aquela gente, que você pensou que nunca poderia contar...
A gente se surpreende com a gente...
Tem gente que encanta,
Tem gente que decepciona.
Que tipo de gente, a gente é?
Ser de um jeito pra um, e de outro jeito pra outro, vale?
Que tipo de gente, a gente não pode ser?
É muita gente, sem a gente...

Na vida, o olhar!




Várias fontes, vários mundos, 
Não há nada mais profundo, 
Que olhar pro horizonte, 
Respirar com toda a calma, 
Vivenciando o tudo e o nada...

E o que dizer mais do que isso
Se tudo esta definido
O tudo já se vivencia
E o nada espera-se vivenciar!

Na magia dos sonhos,
Na dureza da realidade,
A vida nunca passa intacta.
Aí está a felicidade.
Não se cresce de uma só vez, 
Não se sonha apenas na madrugada...

Porque, sonhar é uma arte
Assim como é arte, viver.
Onde pincéis se entrelaçam
E desenham e pintam 
Uma vida, vivida
Nem sempre colorida!

by W. Luís e S.A.


Janela



Olhei pela janela e vi um homem egoísta e invejoso. 

Vi um homem cheio de amargura, tristeza e ódio! 

Pela janela vi esse homem desejando a morte. 

Vi ele chorar e reclamar por sofrer tanto. 


Pela janela vi o homem brigar com inocentes. 

Mas também vi pessoas brigarem injustamente com ele. 

Pela janela vi o homem querendo desaparecer! 

Vi ele querendo se matar! 


Agora, da janela, vejo esse homem lamentar a falta de sorte. 

Vejo-o caindo, chorando, pedindo ajuda! 

Da janela vejo pessoas sem vontade de ajudar esse homem. 


Da janela consigo ver até a alma desse homem, 

Se bem que, olhando melhor, percebo que não estou olhando pela janela, 

Estou em frente a um espelho.